Finanças

Tesouro Direto ou Poupança: Qual é o Melhor Investimento?

O Tesouro Direto e a Poupança são as duas modalidades mais populares de investimento no Brasil.

Isso se deve à facilidade, acessibilidade e previsibilidade de retorno de ambos. Porém, qual é o melhor para você: Tesouro direto ou poupança?

A resposta não é fácil e vai depender muito de questões como o tempo disponível para deixar o dinheiro aplicado, necessidade de saque para emergências ou outros gastos e a finalidade do investimento.

Além disso, as condições econômicas do Brasil e as mudanças tributárias que volta e meia ocorrem no Brasil podem afetar significativamente a rentabilidade de cada uma das opções e o retorno do investimento realizado.

Tesouro Direto ou Poupança: Como funciona cada um

A diferença entre poupança e tesouro direto já começa na forma como cada investimento é realizado.

Para comprar títulos do tesouro direto, o investidor deve possuir registro em alguma corretora e ser autorizado pelo BM&FBOVEPSA, a administradora da bolsa de valores de São Paulo e reguladora da venda de títulos do tesouro.

A poupança, por sua vez, é bem menos burocrática, sendo que qualquer cidadão pode facilmente investir dinheiro na poupança por sua conta bancária.

A poupança é, inclusive, um direito de cada cidadão brasileiro, que pode abrir uma conta poupança a qualquer momento, na Caixa Econômica Federal.

As regras da poupança são definidas pelo Banco Central e os bancos são responsáveis pela administração da poupança de seus correntistas.

Poupança x Tesouro Direto: Rentabilidade

As diversas modalidade do tesouro direto possuem diferentes formas de rentabilidade do dinheiro aplicado.

Porém, todas as modalidades estão de alguma forma relacionadas, sendo que algumas delas são diretamente atreladas à taxa SELIC, que é definida pelo Comitê de Política Econômica do Banco Central.

Ao contrário do tesouro direto, a poupança possui uma única modalidade de investimento e o rendimento é calculado também com base na taxa SELIC.

Desde 2012, quando as regras do rendimento da poupança foram modificadas, a remuneração dos depósitos da poupança é composta pela Taxa de Referência (TR), somada à: 0,5%, quando a taxa SELIC estiver maior que 8,5%, ou a 70% da taxa SELIC quando esta estiver igual ou menor a 8,5%.

A TR é definida pelo Banco Central e divulgada mensalmente.

No mês de maio de 2017, por exemplo, a taxa SELIC estava em 11,15% e a TR em 0,0764, portanto o rendimento da poupança em maio de 2017 foi de 0,05764%.

Nessas condições, com a TR baixa e a taxa SELIC elevada, o Tesouro Direto é muito superior, em termos de rendimento, à poupança.

Porém, para definir entre tesouro direto ou poupança, outros fatores devem ser considerados.

Tesouro direto x Poupança: Liquidez e Deduções

Na avaliação tesouro direto x poupança, outros dois fatores são fundamentais para decidir em qual investir: a liquidez e as deduções de cada um.

Em Economia, liquidez é o termo que define a facilidade em converter um bem ou ativo em dinheiro.

Para a comparação das aplicações, isto define em quanto tempo você terá o dinheiro em mãos, caso precise, e o quanto você perde por retirar o dinheiro.

No caso da poupança, a liquidez é imediata, ou seja, se você possui uma aplicação, poderá sacá-la a qualquer momento, tendo o dinheiro em mãos no mesmo dia, ou no dia seguinte, no máximo.

Não existem descontos como taxa de corretagem e você receberá os rendimentos proporcionais, desde o dia da aplicação, até a data da retirada.

No caso do tesouro direto, a liquidez depende do tipo no qual foi investido.

Se for um título com vencimento a longo prazo, um saque muito antecipado o fará perder boa parte do rendimento, podendo até, dependendo de algumas condições, ser sacado menos dinheiro do que foi investido, caso a taxa SELIC caia muito, por exemplo.

Sobre o tesouro direto, aplicam-se outras deduções, como a taxa de corretagem, que é isenta, em muitas corretoras, mas que pode deduzir em torno de 1 a 2% do valor resgatado, e o imposto de renda.

O Imposto de renda é regressivo, ou seja, quanto mais tempo a aplicação no tesouro direto for mantida, menor será a dedução do IR sobre os lucros obtidos.

Tesouro Direto x Poupanla: Qual o mais arriscado?

Poupança ou Tesouro Direto

Ambos investimentos são considerados os mais seguros do mercado brasileiro.

A poupança porque é garantida pelas instituições bancárias e por todo um sistema que visa proteger o correntista, contra eventuais falências de bancos.

Já o tesouro direto porque o investidor, ao comprar um título, estará basicamente se tornando credor do governo federal, que garante os pagamentos.

Outro ponto que protege os investidores da poupança e do tesouro direto é o Fundo Garantidor de Crédito, que protege investimentos até R$ 250 mil.

Poupança ou Tesouro direto: Afinal, qual é o melhor?

A resposta para essa pergunta varia conforme a finalidade do investimento.

Se a ideia é apenas não deixar o dinheiro “morto” na conta bancária, possibilitando ter alguma rentabilidade sobre ele, mas tendo o dinheiro sempre disponível quando necessário, a poupança é sem dúvida a melhor opção.

Porém, se o objetivo é investir pensando no médio e longo prazo, os títulos do tesouro direto podem ser um excelente meio de garantir retornos sem correr muitos riscos.

A escolha entre tesouro direto ou poupança varia para cada investidor, por isso é sempre bom ficar atento às condições e eventuais mudanças econômicas brasileiras, refletir sobre o objetivo final do investimento e, claro, sempre buscar muitas informações sobre o assunto antes de realizar uma aplicação.

Tesouro Direto Descomplicado

[Total: 1    Média: 5/5]
Tags
Continuar Lendo

Artigos Relacionados

1 thought on “Tesouro Direto ou Poupança: Qual é o Melhor Investimento?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock foi Detectado

Please consider supporting us by disabling your ad blocker