Gestão

Métodos PEPS, UEPS e Custo Médio Para o Controle de Estoque

Temos certeza que o conceito de PEPS, UEPS e Custo Médio irá revolucionar o modo como você apura seu estoque e vamos explicar o por quê.

Não importa o que uma empresa fabrica ou comercializa, é necessário constantemente fazer cálculo de custos e lucros.

Os gastos com matéria-prima, funcionários, equipamentos, entre outros, influenciam nos custos totais do seu negócio.

Os métodos de controle de estoque são uma parte muito importante dentro do gerenciamento de qualquer empresa, entretanto esse controle é um grande desafio para os gestores logísticos.

Várias metodologias foram criadas para simplificar esta tarefa e têm se mostrado eficientes em inúmeros casos.

Neste artigo vamos mostrar os três métodos mais comuns de gerenciamento de estoque: PEPS, UEPS e Custo Médio.

Continue lendo esse artigo e entenda qual desses métodos é mais adequado para o seu negócio.

PEPS

PEPS é uma sigla que representa Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair.

Ou seja, o produto que chega antes ao depósito deve ir embora primeiro.

Dessa forma, o que chega por último, vai embora por último.

Esse método é muito utilizado por empresas que trabalham com produtos perecíveis, pois através do PEPS há um maior controle do fluxo das mercadorias, evitando que elas estraguem no depósito.

Mas mesmo não trabalhando com produtos perecíveis, o método PEPS evita que os produtos novos sejam vendidos antes dos velhos, evitando perdas de itens.

Imagine que você trabalhe com a venda de capinhas de celular.

Constantemente estão criando novos modelos e se você não vender as mais antigas primeiro, possivelmente não venderá mais devido a defasagem das antigas, causando assim prejuízo.

Por causa das características do método PEPS, as primeiras mercadorias a chegarem ao depósito definirão o valor total do estoque, logo o cálculo do valor não será baseado em estimativas, uma das grandes vantagens desse método.

Aplicação do método PEPS

Para ficar mais claro, vamos usar um exemplo:

Imagine uma loja que comercialize almofadas.

O preço pago por cada unidade é de cinco reais e a empresa fez uma compra de cinquenta almofadas.

O valor do estoque, então, é de R$ 250,00.

A empresa vende 40 almofadas e pede mais 50 para o fornecedor.

O fornecedor, por sua vez, explica que agora cada unidade está custando seis reais (lembre que antes custava cinco).

Usando a lógica do PEPS, as próximas dez almofadas que a empresa vender terão o preço baseado na compra de cinco reais e as próximas quarenta terão o preço baseado na compra de seis reais.

Com o método PEPS é mais fácil calcular quanto se recebe por cada remessa.

Se a empresa decidir não aumentar o preço, por exemplo, o lucro sobre cada produto da remessa diminuirá.

O método PEPS ajudará você a saber o lucro exato de cada operação, além de facilitar o procedimento de tributação pelos órgãos reguladores.

UEPS

O termo UEPS significa Último a Entrar, Primeiro a Sair e é o inverso do PEPS.

O valor de venda das mercadorias é calculado em cima do valor da compra da última remessa, que tende a ser mais cara.

Em outras palavras, o valor total do estoque é extraído com base no custo do último preço.

Algumas empresas têm uma preferência por usar UEPS, pois é possível fazer uma previsão da demanda futura pelos produtos vendidos.

Aplicação do método UEPS

Imagine uma loja diferente que comercialize as mesmas almofadas.

O preço pago para cada unidade é de cinco reais e a empresa compra cinquenta almofadas.

O valor do estoque, então, é de R$ 250,00.

A empresa vende 40 almofadas e para o próximo pedido, pede mais 50, porém o fornecedor explica que agora cada unidade está custando seis reais.

Até aí tudo igual ao exemplo anterior, mas preste atenção no que acontece agora.

Usando a lógica do UEPS, das próximas 50 almofadas que a empresa vender, todas terão o valor baseado na compra de seis reais.

Esse critério tem a vantagem de indicar os custos dos artigos realmente consumidos, dando a possibilidade de um ajuste mais eficiente e rápido na produção e nos preços cobrados ao consumidor.

O problema do UEPS está no abatimento do valor tributário após o exercício de cálculo.

Se você precisar fazer um inventário contábil do estoque, por exemplo, o valor dele não estará condizente com a realidade, visto que você baseia suas compras em um único valor.

Por este motivo, esse método não é aceito pela lei brasileira.

Na Alemanha e nos Estados Unidos o UEPS é legalizado e amplamente utilizado.

Custo Médio Ponderado

O Custo Médio Ponderado, também conhecido como Preço Médio, é obtido através de uma média de custos de aquisição.

Nada mais fácil para explicar do que um exemplo, certo?

Aplicação do Custo Médio Ponderado

Pense numa empresa que fabrica um produto.

Num determinado tempo, a empresa produziu cem unidades pelo preço de R$ 1 mil.

Em outro período, a empresa fabricou duzentos e vinte, mas a empresa acabou gastando R$ 2,2 mil reais.

O cálculo é feito a partir do custo total de produção:

(1000 + 2200 = 3200 reais)

Agora basta dividir o custo pelo número de itens fabricados:

(100 + 220 = 320)

Logo, o custo médio é de 10 reais por unidade.

[Total: 1    Média: 5/5]
Tags
Continuar Lendo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock foi Detectado

Please consider supporting us by disabling your ad blocker