ListasPessoas

8 Dicas Fundamentais de Como Fornecer um Feedback Negativo

Geralmente quando é preciso dar feedback, há uma enorme pressão envolvida no assunto, tanto para quem precisa fornecê-lo, quanto para quem vai recebê-lo. Na maioria dos casos e das empresas isso gera grande desconforto, uma vez que falar sobre o desempenho de outra pessoa não é fácil e exige muita ética e responsabilidade.

O psicoterapeuta e CEO da Congni-MRG, Luiz Fernando Garcia explica que há implicações para ambas as partes, ou seja, tanto para o executivo que recebe o feedback – que fica com medo de ser humilhado, como para o gestor que repassa esse feedback e que teme ser mal interpretado.

Sendo assim, constrói-se barreiras de ambas as partes, consequentemente os envolvidos ficam em modo defensivo. O que acaba por gerar desgastes emocionais, problemas de comunicação e até falta da produtividade, ainda que o intuito do feedback seja de melhora.

Sendo assim, o processo de feedback acaba por ser prejudicado. Por isso, faz-se necessário tomar alguns cuidados na hora de se reunir com um colaborador para que seu desempenho tenha resposta.

Como fornecer um feedback?

feedback-2

Para muitas pessoas esse é um grande desafio, mas para facilitar a sua vida, hoje você conhecerá 8 grandes passos de como fornecer um feedback!

#1. Comece por suas habilidades e competências

Todo ser humano tem dificuldades de processar as críticas. A maioria das pessoas não assimilam bem e consideram que houve o máximo de esforço feito por elas, ainda que o resultado não tenha ficado à altura do chefe.

Por esse motivo, é sempre importante ter muita cautela quando chegar a hora de fazer uma reunião, para dar os feedbacks.

O início da conversa deve ser o mais leve o possível. Quem ouve precisa sentir que possui qualidades colaborativas; que está ali de fato, para somar. Nesse caso, o gestor deve se concentrar nos aspectos positivos do perfil profissional do indivíduo.

Veja alguns comentários que podem ser feitos:

Sei que você tem um dos melhores desempenhos aqui, ou, os resultados de tal projeto foram excelentes, parabéns pela contribuição nisso e nisso.

Uma comunicação assim, é uma ótima forma de mostrar que o profissional tem sua importância e valor para a empresa.

#2. Foque naquilo que deseja dizer

Não adianta fazer rodeios ou tentar amenizar os fatos para não parecer “mal” com o feedback.

Quem está a ouvir o feedback, precisa entender os fatos. Quando o gestor se põe a informar os motivos, citando datas, horas e procedimentos onde houveram falhas, está mostrando que as indagações são legítimas e que a situação não é afrontar ou humilhar, mas sim dar resolução ao problema, isso pode ter a ver com atrasos, má conduta, falta de ética no ambiente do trabalho ou desmotivação.

#3. Escolha um ambiente agradável

Os feedbacks necessitam serem transmitidos em um ambiente proporcional ao objetivo, ou seja, é preciso haver confidencialidade, tranquilidade, para que não se perca a concentração ao que será dito, e também para que a pessoa envolvida não se sinta constrangida com a situação.

Algumas empresas acham que podem dar feedback na sala onde grandes grupos trabalham, consequentemente, se não todos, a maior parte parará o que está a fazer, para escutar, isso pode causar constrangimento, desconforto e insatisfação por parte de quem está sendo avaliado, portanto, é vital ter um ambiente estratégico.

#4. Conduza o processo

Numa comunicação, obviamente existe o ouvir e o falar, mas não há como haver entendimento se logo se começa a fazer acusações ou se a pessoa se coloca na defensiva, justifica e/ ou culpa os outros. Nesse caso, o gestor precisa saber como conduzir o processo de feedback.

Uma excelente tática é dizer:

Vou falar algumas coisas de seu perfil profissional e de seu trabalho aqui na empresa e peço que me escute e reflita. Quando eu terminar, você poderá se expressar.

Isso evitará que explosões repentinas aconteçam. O profissional se segurará, caso se sinta incomodado, porque já foi orientado a isto.

Além disso, também é muito válido que o gestor peça ao colaborador que anote as considerações que serão feitas, mas se mantendo em silêncio, enquanto escuta, para que o feedback possa ser benéfico.

#5. Evite acusações nem seja agressivo

“Você é ou você fez” são tipos de diálogos acusatórios e tende a deixar o outro com mal-estar. Será melhor dizer: “Eu sinto que você precisa… Eu tenho a sensação que você fez”… Usar essa segunda versão de comunicação, beneficia o diálogo e torna o profissional mais receptivo.

#6. Também é necessário escutar

Após ter feito sua avaliação e transmiti-la, chega o momento de ouvir as respostas da outra pessoa. Nessa fase do feedback é preciso baixar a guarda e anotar os comentários para depois trabalhar em cima dessas respostas.

#7. Sinalize os pontos importantes

Toda conclusão, necessita de uma recapitulação de tudo o que foi falado. Não se trata de delongas, mas concentrar a conversa para os aspectos gerais do diálogo. Ou seja, o gestor deve dizer ao finalizar:

Então Roberto, pensando nesse ponto, nesse e nesse outro, você compreende que mudar sua postura dessa forma será mais vantajoso para todos?

#8. Elogie em caso de melhoras

Portanto, dizer ao profissional que ele melhorou e mudou é significativo e válido, não deixe de enfatizar as melhorias, repita uma vez ou outra, como forma de estímulo, mas sem tornar-se cansativo ou repetitivo.

[Total: 0    Média: 0/5]
Tags
Continuar Lendo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock foi Detectado

Please consider supporting us by disabling your ad blocker