Como Fazer

Como Montar uma Food Bike de Sucesso

O mundo dos negócios tem como grande característica a constante inovação.

Alguns modelos de empreendedorismo que eram incríveis alguns anos atrás já não servem mais, assim como outros parecem ganhar grande destaque. É o caso da food bike.

Relativamente recente e com uma ideia simples, os projetos de empreendedorismo com uma food bike (ou bike truck) cresceram drasticamente.

Seja nas grandes cidades ou mesmo no interior, tem sido cada vez mais comum encontrar esse modelo de negócio nas ruas e nos shoppings nos mais variados segmentos.

Mais do que simples, montar uma food bike exige um investimento inicial mais básico do que qualquer outro tipo de negócio, sendo plenamente possível para todo tipo de pequeno e médio empreendedor.

Por que a food bike tornou-se um sucesso?

A ideia da Food Bike veio do seu antecessor: o food truck.

Ainda mais comum do que as bicicletas, os food trucks dominaram com força a cidade e apresentaram-se como uma solução inédita e criativa para um mercado bastante competitivo como é o ramo de alimentação.

O problema do food truck é que o seu custo inicial é alto, o que impede alguns investidores de abrirem uma versão nesse modelo de negócio. O mesmo não acontece com os bike trucks.

Como é extremamente pequena, o seu custo de produção é infinitamente menor, tornando-se uma excelente alternativa ao seu “concorrente”.

Esse tamanho reduzido implica em duas consequências diretas.

A primeira é a limitação: muitos alimentos que são produzidos em um food truck não cabem na produção para uma food bike.

Lanches complexos que exigem espaço para fritura ou preparos mais elaborados serão descartados.

Por outro lado, a sua mobilidade é muito grande e simples, permitindo que o espaço onde esteja alocada seja facilmente reorganizado de acordo com a percepção.

Se alguém que abre um negócio desse tipo e percebe um fluxo maior de pessoas em um local próximo, consegue rapidamente mudar-se para aquela região.

Definindo o produto da food bike

Montar bike truck

Uma vez que o empreendedor enxergue na food bike uma boa oportunidade de negócio, o segundo passo será definir o produto a ser trabalhado.

Para isso, é essencial entender também o público-alvo do negócio.

Como existe uma limitação de produção, esse fator deve ser o primeiro da lista de preocupação.

Não há como pensar em lanches estilizados ou um vasto cardápio de opções.

Os alimentos devem ser simples e práticos, preferencialmente comercializados já prontos.

O cliente desse tipo de negócio também sabe disso e está previamente preparado para procurar uma food bike para refeições rápidas – um lanche ou uma sobremesa, por exemplo.

Dificilmente alguém que queira fazer uma refeição completa (almoço ou jantar) colocará uma food bike na sua lista de opções. O empreendedor precisa ter isso muito claro.

Algumas opções são melhores do que as outras. Lanches, saladas, salgados e doces são os campeões na lista de quem inicia esse tipo de operação.

O cuidado deve ser para não diversificar o cardápio de opções: pode parecer ótimo para o cliente, porém fará com que a food bike não tenha uma identidade – e consequentemente perca público ao invés de ganhar.

Como montar uma bike para comercializar alimentos?

O primeiro passo para quem quer abrir um negócio como esse é o mesmo de qualquer outro empreendimento: checar as condições burocráticas e regularização.

Alguns locais já possuem uma legislação própria para o bike truck (São Paulo, por exemplo, já incluiu essa atividade como independente), mas outros podem aplicar as regras para um vendedor ambulante.

A partir disso e da regularização de um CNPJ (afinal, o empreendedor precisa de uma pessoa jurídica para vender legalmente, nem que seja de microempreendedor individual – MEI), o foco deverá ser escolher o tipo de bike para abrir o negócio.

O principal fator a ser analisado nesse momento será o que deverá ser comercializado versus layout e espaço.

Se a comida for quente, possivelmente precisará de um fogão ou forno elétrico e isso deverá estar no espaço e também no custo.

A venda de sorvetes exigirá um freezer.

O ideal é que antes de qualquer decisão se faça um plano de negócios.

O site do SEBRAE possui formulários bem completos para fazer um plano de negócios perfeito e garantir com sucesso uma abertura em condições com chances reais de sucesso.

Qual o custo para abrir um bike truck?

Food bike lanche

A grande vantagem desse tipo de negócio é o custo necessário para iniciar o trabalho.

No caso da Food Bike, o valor irá depender do grau de personalização e complexidade da operação, mas pode ser extremamente barato.

Sem grandes complicações, é possível que o gasto fique até entre dois e três mil reais.

Para casos que exijam alguma adaptação mais complexa, o valor pode aumentar até a casa dos quinze mil reais – o que é muito pouco para iniciar o negócio se comparado com outras atividades.

Como o custo já é menor, não se recomenda economizar muito na hora de definir a food bike.

Poupar alguns mil reais pode ser altamente prejudicial ao sucesso do negócio.

O espaço ocupado já será pequeno e sem um visual atrativo será muito difícil obter bons resultados.

A inclusão de uma cozinha de apoio, por exemplo, poderá levar o investimento para vinte e cinco mil reais.

Qual outro tipo de empreendimento é possível abrir nesse nicho com um investimento tão pequeno?

Caso o empresário não tenha certeza de como gostaria de ver a sua food bike poderá pedir a ajuda de empresas especializadas no assunto como a Food Bikes e a Dream Bike – se tiver habilidades artísticas, o custo poderá ser ainda menor.

O segredo do sucesso do bike truck: tratar realmente como um negócio

Muitos dos empreendedores que abrem um bike truck fazem pensando em uma renda adicional.

Como o investimento é baixo acaba sendo comum o pensamento de que “se der certo ótimo, mas se não der tudo bem também”.

Esse é o primeiro erro.

A food bike pode ser extremamente rentável e lucrativa, porém precisa ser levada a sério assim como um negócio normal.

Análises diárias devem ser feitas sobre as vendas (o que mais vendeu, qual o horário de maior fluxo, o que os clientes procuram inicialmente, etc) para identificar melhor as oportunidades do negócio.

Ademais, o marketing é essencial – especialmente para novos negócios.

Usar as redes sociais pode ter custo zero (publicações promovidas não são muito mais caras) e apresentam ótimos resultados.

É preciso tornar a bike food conhecida para se obter bons resultados.

[Total: 1    Média: 5/5]
Tags
Continuar Lendo

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

Adblock foi Detectado

Please consider supporting us by disabling your ad blocker